Roma Antiga

Blog sobre a Roma Antiga: história, cultura, usos e costumes.

segunda-feira, junho 19, 2006

O recrutamento-II
Lentamente observa-se outra transformação. Para os habitantes do império que quisessem obter a cidadania (não a tendo pelo nascimento), existia o recurso de se alistarem nas coortes auxiliares, marinha, ou outra unidade do género; cumpriam 25 anos e recebiam a cidadania; os seus filhos seriam automaticamente cidadãos romanos (podendo entrar nas legiões se quisessem). Ora os auxiliares tinham o hábito de incorporar no seu nome de família o nome do imperador de quem tinham recebido a cidadania, passando o nome para os descendentes. Assim sabemos que legionários do séc. II e III com nomes de família imperiais (como Claudius, Flavius, Ulpius), são descendentes de indígenas que foram auxiliares; se não tem nomes de imperadores, é porque descendem de colonos romanos (ou receberam a cidadania no período republicano, mas isso fora há muito tempo). O que vemos é que no séc. I a esmagadora maioria dos legionários tem nomes comuns, alguns poucos a partir do séc. II tem nomes imperiais e sobretudo no séc. III mais de metade tem nomes imperiais (o édito de Caracala ajudou), o que mostra que para além dos descendentes dos colonos, os indígenas mais ou menos romanizados vão entrando nas legiões (os velhos testes de conhecimento de latim continuavam a aplicar-se). Mas em compensação, a qualidade do seu latim vai-se degradando, tornando-se num verdadeiro latim de caserna, acusado de ser incompreensível para os restantes cidadãos (presume-se para os cidadãos cultos).
Outro ponto importante da onomástica, é que no ocidente, os legionários mesmo que de origem indígena, adoptavam nomes completamente latinos, abandonando os velhos nomes. No oriente, adoptavam uma mistura de nomes latinos com gregos e semitas.
Outro ponto importante: apesar de tudo o que disse, os romanos eram muito flexíveis de acordo com as necessidades. Quando Varro “perdeu” as suas legiões, Augusto comprou escravos, deu-lhes a cidadania e formou legiões com eles (Marco Aurélio fez o mesmo mais tarde). Podiam ser utilizados em caso de necessidade escravos, libertos e estrangeiros como legionários (embora respeitando as formas legais). Mas nunca egípcios. Augusto tinha um enorme preconceito contra eles (nem para auxiliares os aceitava), e o máximo que lhes concedia era que depois de servirem na marinha (a arma com menos prestigio), durante 25 anos de serviço (a remar) recebessem o direito latino (que lhes permitia ir para os auxiliares, embora fossem já velhos). Mais um par de gerações a servir em várias unidades e lá conseguiriam tornar-se cidadãos. Ora mesmo um reles liberto ex-escravo de qualquer outra etnia que tivesse servido na marinha recebia a cidadania no final do serviço. Esta situação demorou algum tempo a mudar.
Q.F.M.

6 Comments:

Anonymous Ivo said...

Cara, eu realmente gostei muito do seu blog... li praticamente todos os posts desde 06/2005... achei-os muito bons... sou fascinado por Roma... ( principlmente pelo grande Julius Caesar )
Um abraço, falow!

12:24 da manhã  
Blogger Parca said...

Obrigado pelo elogio, é sempre bom ver o nosso trabalho (na realidade somos 2 a manter o blog).

9:07 da manhã  
Blogger Parca said...

Obrigado pelo elogio, é sempre bom ver o nosso trabalho reconhecido(na realidade somos 2 a manter o blog).

9:07 da manhã  
Blogger publio crasso said...

Oi, este blog sobre a Roma Antiga é muito bom. Parabéns. Saindo um pouco sobre o tema acima, no tocante ao seriado ‘Roma’ da HBO, eu fiquei com várias dúvidas do que foi mostrado, se realmente era história ou ficção. Tenho lido bastante sobre a Roma Antiga, como Suetônio, Plutarco, Comentários das guerras gálicas e civil, bem como pesquesas que tenho feito na internet. Tenho algumas dúvidas em relação à série Roma da HBO que não encontrei em nenhum outro livro ou lugar, como: Quando César depois de atravessar o Rubicão, dizem que entrou em Roma foi até o Senado e entrou montado no seu cavalo? O caso do roubo do tesouro do erário por Pompeu e depois recuperado por césar, onde se conseguiu esta informação? Plutarco diz que Décimo Bruto foi até a casa de César e o convenceu a ir ao Senado, onde acabou assassinado, no pé da Estatua de Pompeu, por que o seriado não mostra isso? Realmente Servília participou da trama contra César? Realmente Servília dormiu com a irmã de Otávio? Otávio realmente dormiu com sua irmã? Átia realmente organizou o ataque a Servília na rua onde ficou despida e seus criados mortos? César, após voltar da Gália, realmente acabou seu relacionamento com Servília? César realmente bateu em Servília? O que Servília ficou fazendo nos oito anos em que César lutou na Gália? Durante a Guerra Civil quem ficou cuidando da província da Gália e por que não houve revolta dos gauleses nesse período, sendo que na época em que César estava na Gália ocorreram várias? Vercingetorix realmente foi executado por estrangulamento durante o triunfo ou foi executado na prisão como afirma Plutarco? César realmente ia muito a casa de Átia? Ele realmente participava das festas que Átia dava em sua casa? César não levou Cleopatra para Roma que ficou vivendo por lá durante dois anos? E sua mulher Capurnia como teria reagido a esse fato? Marco Antonio realmente dormia com Átia? Suetônio e Plutarco dizem que, quando César foi morto Otávio estava em Apolonia? Por que então mostra César sendo assassinado e Servília chamando Átia e Otávio a sua casa ameaçando-os? Obrigado pela atenção alguém poderia me ajudar a resolver essas dúvidas? Muito Obrigado.

3:12 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Very cool design! Useful information. Go on! » »

5:52 da manhã  
Blogger freefun0616 said...

酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,酒店,

8:31 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home