Roma Antiga

Blog sobre a Roma Antiga: história, cultura, usos e costumes.

sexta-feira, Março 19, 2004




PERSONAGENS (III): CATÃO DE ÚTICA (Marcus Porcius Cato - 95 a 46 a.C.) foi uma importante figura da história romana. Defensor acérrimo da mos maiorum e conservador fanático, foi um destacado líder da facção dos boni e um dos maiores inimigos de César. Bisneto de Catão, o Censor, herdou as tendências (e paranóias) deste último, quer no que diz respeito à vida pública como à sua intimidade.

Ao longo da História, muitos foram os que confessaram admirar Catão. Por exemplo, os Pais Fundadores dos EUA viram nele um ardoroso combatente da liberdade, que preferiu suicidar-se (na cidade de Útica, de forma particularmente dolorosa, diga-se) a ter que receber o perdão de César, o homem que ele mais odiava.

Não admiro Catão; era mesquinho, vingativo, rancoroso e invejoso. Simboliza todos aqueles que, por vaidade pessoal, incompetência e falta de visão, tudo fazem para impedir a mudança. Creio que Catão defendia a tradição - simplesmente por ser tradição - e não a liberdade. Esta é, contudo, uma opinião pessoal, da qual outros certamente discordarão.

Plutarco refere o seguinte, a respeito de Catão:

"It is said of Cato that even from his infancy, in his speech, his countenance, and all his childish pastimes, he discovered an inflexible temper, unmoved by any passion, and firm in everything...to go through with what he undertook. He was rough and ungentle toward those that flattered him, and still more unyielding to those who threatened him. It was difficult to excite him to laughter, his countenance seldom relaxed even into a smile; he was not quickly or easily provoked to anger, but if once incensed, he was no less difficult to pacify." [versão inglesa]

Os Romanos tinham um célebre dito a respeito desta curiosa personagem: "A causa vencedora apraz aos Deuses; a vencida a Catão".

C.J.F.